Anita Vai ao Mel 85

STREAM / DOWNLOAD (81mb)

Este já saiu há uns dias, mas um Anita Vai ao Mel só se torna oficial quando acompanhado por uma foto de Maria Minerva e é nesse espírito que trazemos o ultimo podcast da temporada. Como no mês de Agosto a Rádio Autónoma entra de férias,  aproveitamos também para experimentar isso a que chamam sol e meter a musica em ordem, para um regresso em Setembro com bronze de fazer inveja a absolutamente ninguém no escritório.

Esta semana os destaques maiores vão para o quarteto fantástico de “amigos” John Maus, Gary War, Ariel Pink e Maria Minerva, todos com novidades seja em forma de alguns dos melhores álbuns do ano ou em coletâneas ou novos singles.

Passamos revista à colheita das ultimas semanas com os suecos Holograms, Solar Year com Grimes e novos dos Wild Nothing e Sebadoh, entre noviças de favoritos como os Blanche Blanche Blanche e os Unknown Mortal Orchestra (duas bandas cujo nome me faz odiar gostar tanto deles).

Uma hora entre o chá e a cerveja para comemorar o inicio das férias – e talvez o fim das vossas – e a colocar um ponto final nesta temporada. Nestas próximas semanas, o Anita dedica-se às noticias esporádicas e a uma ou outra mixtape, consoante o tempo e a vontade. Podcast para download e stream lá em cima, tracklist completa depois do salto.

Continue reading

Anita Vai ao Mel 84

ANITA VAI AO MEL 84 STREAM / DOWNLOAD

Listas para trás, voltamos ao formato usual  até a Radio Autónoma ir de férias em Agosto. Esta semana temos novos singles de Jack White, Holy Other e Archive, conhecemos Kangding Ray e o misterioso projeto português JCCG (na foto) e ainda encontramos tempo à força para algumas recordações dos 90 e outras insistências mais contemporâneas de gente igualmente menos capaz. Para a semana é possível que voltemos em modo mini-mixtape até Setembro, mais novidades quando as houver.

Para download e stream nos links acima, tracklist depois do salto.

Continue reading

Light Asylum – live @ KEXP (video)

Ainda a flutuarem na boa receção de um dos nossos discos favoritos de 2012, os Light Asylum foram dar uma borla do seu espetáculo em palco aos estúdios da KEPX, onde entre passeios de boas t-shirts e um relembrar que vivemos numa sociedade machista mostraram também porque são dos duos mais requisitados deste ano. Influências à distância dum bolso e uma atitude revigorante fazem um projeto, juntar-lhe uma voz assim faz magia a conferir na integra da sessão KEPX, já aqui.

Anita Vai ao Mel 83 – Checkpoint 2012

ANITA VAI AO MEL 83 STREAM / DOWNLOAD

Tomai e comei da segunda leva dedicada aos favoritos da primeira metade de 2012. Os EPs e LPs – duração é só um pormenor – que com mais sucesso se gladiaram pela nossa atenção, claramente mais inclinada ultimamente para as tonalidades mais pop da paleta do pequeno bizarro e do bizarrinho. Nada demasiado seja o que for, uma hora sem tops numéricos e com o tempo como única limitação para rever sensações e uma porrada de novos hinos, tudo como sempre gravado nos confortáveis estúdios da Rádio Autónoma. Para stream e download, logo ali em cima.

Tracklist depois do saltinho.

Continue reading

B Fachada – Afro-Xula + Como Calha (stream)

Aqui por casa é claro como a água: B Fachada é paixão quente no Verão e completo degredo no Inverno, e não tem havido volta a dar. É por isso que me animo quando por esta altura o jovem guerreiro da Bica lança o seu disco solarengo e renasce com ele a promessa de vício.

O mui puerilmente intitulado novo álbum Criôlo sai no final deste mês e já tem single, um relato de baile in loco muito ao seu género e com olho tropical chamado Afro-Xula, que podem ouvir já aqui. Mais atenção nos desperta o segundo aperitivo, o primeiro sopro do after na praia chamado Como Calha, canção na mouche a assegurar um B Fachada bem disposto e – benza-o Deus – irresistível, talvez ou não por calhar ser Verão.

Anita Vai ao Mel 82 – Checkpoint 2012

ANITA VAI AO MEL 82  STREAM / DOWNLOAD

Duas vezes por ano, foi o que estabelecemos os dois, olhos nos olhos, para arrumar o quarto. Não mais, mas também não menos. Assim que chega a altura – temo-la muito bem marcada no calendário dos escuteiros colado no frigorífico desligado que usamos como dispensa – é certo que ela se vai encolher e inventar desculpas, mas temos um pacto que ela cumpre.  Olhos nos olhos, é o truque. E eu, por minha parte, faço por ignorar a tralha a chegar ao teto e só mexo uma palha se a palha chegar ao corredor. Tenho de confessar quão receoso isso me faz sentir como pai, mas posso sempre gabar-me de quão bem nos damos todos cá em casa.

Esta semana fazemos a primeira colheita de 2012, respeitante aos temas isolados mais interessantes que passaram por cá nos últimos seis meses. Singles e temas fortes de álbuns assim-assim ou que ainda estão por escapar. Uma lista sem top e sem número concreto, escolhemos as que couberam porque vivemos um estilo de vida alternativo.

Ao inicio e ao fim, duas novidades apenas, a primeira o refresco guaraná de Lucas Santtana – retirado do recomendável terceiro álbum O Deus Que Devasta mas Também Cura (ver caixa); a segunda o novo single para os Yeasayer, carregado de bass e promessa para The Fragant World, a sair a 20 de Agosto.

Para download e stream lá em cima, tracklist depois do salto. Para a semana revemos os álbuns.

Continue reading

Blur – Under The Westway / The Puritan (video)

Under The Westway e The Puritan poderão ser os últimos temas assinados pela banda anteriormente conhecida como Blur. Já se disse o mesmo ou algo parecido acerca de Fool’s Day, a faixa lançada para o Record Store Day já de 2010, mas a candura com que Damon Albarn tem sugerido o final do projeto londrino demonstra uma fria – ainda que saudável – falta de vontade. Isso costuma ser o suficiente, costuma?

Se Under the Westway já tinha sido apresentada por Damon e Graham no inicio do ano, The Puritan surge como uma enorme surpresa e um quase certo novo suplemento à presença dos Blur nas pistas dedicadas (fora a Song 2 às 3 da manhã em sequência Killing in the Name of + aquela dos Hérois del Silencio). Uma canção feliz em todos os sentidos, baseado na má opinião da banda acerca dos bastidores das entregas de prémios que eles não se escusam a receber.

Os dois temas saem ilustrados por vídeos auxiliares ao canto entre copos, na que parece ser a mais sofisticada e seleta casa de karaoke do mundo.