Klaxons – Landmarks of Lunacy EP

Hum, não sabia de nada disto.

Os Klaxons soltaram há uns dias um novo EP, e para download gratuito. Chama-se Landmarks of Lunacy e é constituído por 5 faixas, todas elas gravadas em 2008 pela direcção de James Ford dos Simian Mobile Disco.

The Pale Blue Dot by klaxons

Ainda só estou a ouvir The Pale Blue Dot, a primeira fatia, e já duvido que estas sejam as tais gravações que a editora rejeitou. Isto é bom e razoavelmente acessível, não me parece material para desgraçar uma banda e levar à ruína o produtor e a senhora da limpeza.

Ou isso ou já estou toldado pelo furacão MGMTCelebrations. Agora que uma banda indie pop de grande projecção já teve a coragem de lançar algo radicalmente diferente dos êxitos que a lançaram, em se confirmar que estas faixas de Landmarks of Lunacy são o que ficou de fora então confirma-se também que os Klaxons são uns meninos.

E, só por isso, carreguem no menino para o download gratuito do EP.


Ariel Pink’s Haunted Graffiti – Special Presentation @ Pitchfork TV

Mais uma performance de uma das bandas chave de 2010, segundo aqui o pardieiro. Para nosso deleite, o pessoal da Pitchfork está a passar um mini-concerto muito especial dos Ariel Pink’s Haunted Graffiti. O pequeno set é composto quase exclusivamente por faixas de Before Today, a obra-prima do menino, excepto Getting High in The Morning do House Arrest de 2006.

Ariel Pink ao vivo é um acontecimento, este vídeo é apenas a captação possível-  Substituam as velhotas por barbas preocupadas da ZDB e estarão perto –  mas ouvir Beverly Kills de novo atesta um certificado ao hype, e consigo a verdade de este ser um dos melhores compositores pop no activo.

Vodpod videos no longer available.

Para ouvir o resto, clickem-se até à Pitchfork TV.

Yeasayer – Live At Ancienne Belgique

Ainda é Natal, e Natal significa estar longe de qualquer forma de tecnologia que ultrapasse o Pai Natal Dançarino.

No entanto, isto merece uma escapadela: os Yeasayer, em regime de semi-presente, estão a oferecer gravação de qualidade dum concerto do fim de Outubro passado. A banda, na lista de melhores do ano aqui no Anita, pede aquilo que quiserem dar pelo concerto, o que inclui nada.

Feito o download, de volta ao arroz doce. Clickem no manual para o link e fiquem com Madder Red, que é vídeo bué do chuif.

2010 REJECTS Christmas Mix

Porque a lista ficou incompleta, como creio ser lei nestas coisas, a Anita cozinhou um pequeno mix para vos acompanhar na viagem até à casa da avó.

Nos pouco mais de 25 minutos estão os honrados que ficaram de fora, como os tugas Paus, a edição mais que tardia de Man Alive dos Everything Everything e de Neko (Rustie), a beleza na musica de Agnes Obel. Ouvem-se também os soturnos sons de Xiu Xiu, o cruelmente ignorado Lady Of The Wild Things dos Magdalena Solis (para download gratuito) e o witchhouse via †‡†.

Em suma, um pequeno mix deprimente para os Natalistas, e uma última despedida para 2010.

DOWNLOAD

1.Paus – Lupiter Deacon
2.Darkstar – Dear Heartbeat
3.Agnes Obel – Riverside
4.Xiu Xiu – Falkland Rd.
5.Rustie – Neko
6.†‡† – KVLTSTEP
7.Magdalena Solis – The Pigs Monastery
8.Everything Everything – Tin (The Manhole)
9.Antoine Dodson – Bed Intruder Song!!!

Feliz Natal, e tenham cuidado na estrada. Fica Darkstar.

Portishead no Super Bock Super Rock (+ Arcade Fire??)

E enquanto preparo um pequenito mix de ode aos rejeitados da listona do ultimo post, cai o Carmo e parte da Trindade.E a coisa veio por ondas.

A primeira vaga foi a confirmação do regresso dos Portishead a Portugal em 2011, via Festival Super Bock Super Rock. O regresso da banda já era mais que bem vindo depois do sucesso dos espectáculos em Lisboa e Porto em 2008, e espero desta vez ter um melhor lugar que nesse fatídico ano em que o melhor que consegui foi ficar em casa a ouvir a bootleg.

Sem dar espaço a folgo, o trio de Bristol anuncia pouco depois no twitter de Barrow que iriam partilhar datas com -meu deus- os Arcade Fire, na próxima tour festivaleira na Europa. E é aqui que o entusiasmo se converte em histerismo porque…

… correm rumores (que não pude confirmar) que Barrow se descaiu mesmo e confirmou presença conjunta com os Arcade Fire em Portugal, SBSR.

Tudo isto está por ver ainda, as noticias ainda se limitam a repetir a mesma escassa informação, e é bem possível que este alinhamento de sonho não se concretize. Mas já permite algumas breves considerações.

O receio de que os Arcade Fire não voltassem a Portugal nesta tour em nome próprio depois do desastre CimeiraGate parece afinal bem real. Receava-se um regresso em formato festivaleiro, coisa que sabe a pouco tendo em conta a importância de uma boa acústica na musica dos Arcade Fire quando ao vivo.  Mas após começar o rumor da presença dos canadianos neste próximo SBSR, toda a gente parece ter esquecido este ponto a menos. Não escondo que também prefiro Arcade Fire em festival a Arcade Fire em todo o lado menos Portugal, mas ainda tenho aqui um peso. Ainda tenho aqui um peso, percebem?

Por outro lado, não creio existir um vínculo demasiado sério dos Arcade Fire à Everything is New, mas não conhecendo os detalhes dessa relação temo por surpresas. Afinal, a organização do Super Bock Super Bock está a cargo da directa concorrente Musica no Coração, pelo que espero que isto não dê molho. O tempo o dirá mas, caso a coisa dê para o torto, já mandei vir 25 pares de tochas e forcados para distribuir pelos primeiros 25 a enviarem pro meu email uma frase sobre o tornado em Tomar. (não enviem para o meu email frases sobre o tornado em Tomar).

Come what may, os Portishead vêm a Portugal em 2011. Na mala trazem 3, um dos melhores álbuns desta década, assim como um sucessor que já estará por essa altura encaminhado, pois a banda começa a pô-lo no papel já no inicio do ano. Até agora o grande concerto dos já anunciados para o próximo ano –  “perdoem-me” os fãs de Bon Jovi – terá como companhia de cartaz os também confirmados (e quem diria vivos) The Strokes.

Com pó e muita expectativa canadiana, lá estaremos. Fica The Rip (a ver no youtube, mesmo. Damn you, UGM.)

Atenção que ainda é rumor. Acalmem a pevide.

Anita Vai ao Mel Best of 2010

Ora cá estamos. Ainda anteontem estávamos a limpar os esguichos de vodka preta da parede da sala, e hoje já estamos a ponderar a saída de quinta feira à noite, pois na manhã seguinte temos de ir para a terra.

É tudo bom, em especial o momento anual para as listas. Aqui no Anita, como de costume, as listas são sem ordem de importância, como as de supermercado: 2010 foi cheio de sons interessantes e, dependendo do gosto e timing, não faz muito sentido ordená-los à ditador.

Existem no entanto destaques, cada um nos seu género muito concreto, e esse serão abordados nos próximos posts como forma de arrumar a casa. Faz-se assim a celebração de 2010 no Anita Vai ao Mel.

A começar as hostilidades, claro, a emissão especial Best Of 2010. Duas horas para ouvir de uma vez ou partida a metades (ou terços ou quartos) que passam uma rápida vista sobre o melhor que se ouviu por aqui. Como sempre, está para download e streaming, no zippyshare e soundcloud.

Mas antes, o aperitivo.

DOWNLOAD (mp3 no @ zippyshare)

1.Yeasayer – Ambling Alp (Odd Blood)
2.Darwin Deez – Constellation (Darwin Deez)
3.Bassnectar – Falling (feat Paper Machete)
4.Gonjasufi – She Gone
5.Janelle Monáe – Make The Bus (feat of Montreal)
6.B Fachada – Memórias de Paco Forcado, Vol
7.Eskamon – Fine Objects
8.Take – Neon Beams
9.Kanye West – All Of The Lights
10.Laurel Halo – Embassy
11.Dream Boat – Your Beaches
12.Iamamiwhoami – T
13.Crystal Castles – Baptism
14.Eluvium – This Motion Makes Me Last (Fourt Tet Remix)

~~

15.The Tallest Man On Earth – King Of Spain
16.Ariel Pink’s Haunted Graffiti – Round And Round
17.Arcade Fire – Empty Room
18.Secret Knives – Black Hole
19.These New Puritans – Three Thousand
20.Gil Scott-Heron – Me and The Devil
21.Caribou – Jamelia
22.Diamond Rings – Wait And See
23.ITAL TEK – Moment In Blue
24.Ceo – All Around
25.Breakage – Foundation
26.Charlotte Gainsbourg – Time Of The Assassins
27.MGMT – Flash Delirium
28.Hooray For Earth Vs Twin Shadow – Place We Like
29.Owen Pallett – The Great Elsewhere