Diamond Rings – Something Else (video)

Sem mais, o ultimo single para Special Affections, de Diamond Rings. Este álbum vai estar a tocar na minha passagem de ano, seja nos phones seja à socapa no sistema de som de uma qualquer discoteca que não pague o suficiente aos seus seguranças.

Como ainda é cedo para listas de fim de ano, leiam-se as intenções na insistência.

Bom Halloween!

Brian Eno – Small Craft On a Milk Sea (stream)

(Busy busy!! Mas acontecimentos deste calibre justificam pelo menos um mini-post, pelo que cá vai.)


O novo álbum de Brian Eno está para audição no site da NPR. Chama-se Small Craft On a Milk Sea e é um conjunto de paisagens sonoras na melhor tradição do profeta, com a diferença que nem todas as paisagens são agora verdejantes, sequer planas. Existe musica violenta aqui, com pleno uso dos tons mais baixos que tanto gosto.

Do que se ouviu (ainda vou nas primeiras 4) já parece um grande regresso de Brian Eno aos discos, depois do mediano Another Day On Earth de 2005.

Cliquem no olho do camelo para serem levados ao stream completo do novo Small Craft On a Milk Sea, disponível até dia 2 de Novembro, data da saida oficial nas lojas.

Crystal Castles – Not In Love (com Robert Smith)

Um post-relâmpago para vos enfiar pela goela o novo single Crystal Castles. Para quem não sabe/ouviu ainda, Not in Love conta com a colaboração de Robert Smith dos The Cure, que tem aqui o seu melhor momento em anos. Calha bem, que ando com a Close To Me a repetir nonstop na cabeça há mais de uma semana, sem qualquer razão  não revelável em terapia.

Fica a dica.

Not In Love ft. Robert Smith, by Crystal Castles by GRÉGOIRE HØVIKSTAD

Skrillex – Scary Monsters and Nice Sprites

Estamos já quase em 2011, 7 anos volvidos desde a fundação daquilo a que se convencionou chamar o “dubstep”, e é interessante que as discussões sobre a sua passagem para o mainstream ainda comecem tantos fogos em tanto fórum nas internetes. Afinal, disseminado o wooble como definição sonora do proverbial filthy – tanto no dnb como no próprio dubstep – e descoberto há muito o potencial para as pistas dum género de batida que usa o silêncio como o principal catalisador de emoções, é estranho a coisa não estar ainda por todo o lado.

As teorias são muitas. A mais interessante fala dum certo secretismo relativo à “formula” dubstep que se estendeu muito para além do normal da maioria dos géneros. De facto durante os anos iniciais da sonoridade, quase toda a produção do dubstep se concentrava num grupo relativamente selecto de produtores de dub históricos, génios prematuros e professores de musica. Burial disse uma vez em entrevista que o objectivo, se o houvesse, seria o de barrar o máximo de tempo possivel o conhecimento da  “fórmula” às massas, para diminuir a avalanche de trabalhos amadores que isso acarreta.

Burial é estranho mas não é nada parvo, e o que ele diz faz sentido se pensarmos no rácio boa produção / má produção dos mais variados géneros da electrónica ao rock, da pop ao hardcore e fizermos a comparação com o do dubstep, nos seus primeiros 5 anos: bem mais de metade da produção era excitante, progressista, cimentada na procura inteligente de uma nova gama de sons e ritmos, tudo sem descurar o prazer. É bem possível que este nível de qualidade tenha sido consequência do elitismo inicial dos produtores, mas é inegável que ele existiu e durou tempo suficiente para cimentar os propósitos progressistas do dubstep.

Joy Orbison

Rusko

O tempo passou e hoje existem talvez duas grandes facções, entre os mil e um subgéneros: os herdeiros da primeira geração, interessados na perfilhação de novos sons e em diálogos constantes com o hip-hop abstracto; e toda uma novo grupo que bebeu do aspecto deliciosamente rave de muitas das produções de gente como Skream, e procuraram fazer musica pensada para as pistas,  orientada para um segmento de público que prefere não levar a musica tão a sério, pelo menos entre vodkas de morango. E é neste contexto que surge o EP Scary Monsters and Nice Sprites, de Skrillex.

Sonny Moore é um nome mais ou menos reconhecido no meio alternativo mais pesado, que recentemente assinou com a produtora de DeadMau5. O rato já andava a ameaçar orientações dubstep nos seus últimos sets de house progressivo e por isso não foi com a maior das surpresas que convidou o recém-assinado Sonny, sob o nome Skrillex, para o acompanhar na mais recente tour. O ultimo EP de Skrillex denota exactamente esta fusão de duas ideias/linguagens em teoria tão diferentes, mas que juntas fazem todo o sentido, e a sensação que fica depois de ouvir Scary Monsters and Nice Sprites é de que se a evolução da face mais acessível do dubstep for por aqui, então que assim seja.

Antes isso que mais terrores à semelhança de uns Mt.Eden e os seus muito pouco inspirados remixes em formato linha-de-montagem, recebidos quase sempre com deprimente visibilidade e relativo sucesso. Para que isso não faça escola, fica o single de scary monsters e uma interessante promo de todo o EP.

Scary Monsters and Nice Sprites

Promo de Scary Monsters and Nice Sprites, o EP

E como bónus, o mais purista que não gostar desta orientação pode sempre virar à esquerda e encontrar todo um maravilhoso mundo de post-dubstep ainda por descobrir. “É por isto que gosto de dubstep #2134134. “

These New Puritans no Musicbox

Parece confirmada a visita dos These New Puritans ao Musicbox já dia 11, inseridos no Levis Unfamous Music Awards deste ano. O objectivo é escolher três bandas novas que enviem as suas maquetes, posteriormente escolhidas pelo staff e publico blah blah blah… Ya, os These New Puritans vão estar em Portugal.

O preço parece estar a uns estranhos 6 euros apenas (pelo menos segundo a bilheteira), o que é dado, portanto. A banda inglesa irá com toda a certeza continuar a apresentar o hipnótico Hidden de 2010, da qual deixamos ficar We Want War, um dos grandes temas deste ano, aqui no barraca. Alguém que me diga, já agora, se a recente formação do grupo inclui a loira ou não, estou confuso.

Mais info pela Match Your Sound.

Noiserv – Mr.Carousel (video)

Em apresentação do novo Ep A day in the day of the days, surgiu recentemente um pequeno e belissimo OVNI nos domínios do Youtube. Com a ajuda da Antena 3 e realizado por Diana Mascarenhas e Ricardo Duarte,  Mr. Carousel de Noiserv toma agora a forma de um interessante vídeo do género paz de alma, sobre as pequenas atribulações dum artista errante com boas intenções.

A canção é um dos claros triunfos da sua até agora curta mas prolífica carreira, e vê-la a jogar com a melancolia feliz de um conto urbano cria o efeito zen que se pretende para um domingo de serena ressaca.

A day in the day of the days já pode ser ouvido, aqui – download obrigatório, contra rápido registo no site.

Anita Vai ao Mel 15

Este confesso que me deu mesmo muito prazer. A semana foi boa em termos musicais, cheia de triunfos de bandas já com provas dadas como os Belle & Sebastian e Deerhunter, de descobertas refrescantes como a de Darwin Deez e ainda verdadeiras surpresas, na edição de Sunburst do Rustie e a junção de esforços entre Jamie Stewart (Xiu Xiu) e Jonathan Meiburg (Shearwater).

Os bons continuam bons, assim regressam Parenthetical Girls e Diamond Rings para mais uma leva de sons, acompanhados de OVNIs como os Bonjaynuma excelente releitura do meu tema preferido do ultimo Caribou – e Arc Light, no momento mais místico/whatever da sessão.  Ainda fica tempo para algum dubstep quase velha guarda, para um dos melhores remixes do ano e para o regresso não regressado dos enormes Stereolab.

Por razões que me ultrapassam, a placa de som (ou o microfone) resolveu(ram) o seu problema sozinhos e sem consulta, pelo que o som está consideravelmente melhor, pelo menos ao meu ouvido. E tudo isto enquanto subia mais um mineiro! Dias bons…

Ah, e já falei da vinda de Owen Pallett e Janele Monae a Portugal em Dezembro?

Já? Ok.

Podem streamar o Anita Vai  ao Mel #15 (60 minutos) aqui em baixo, ou fazer download directo e rapidíssimo AQUI (zippyshare). Thank you.

1.Bonjay – Jamelia
2.Stereolab – Sun Demon
3.Diamond Rings – Wait And See
4.Arc Light – Shift Now
5.Rustie – Neko
6.Darwin Deez – Constellation
7.Darwin Deez – The City
8.Bassnectar – Underwater (feat.Tina Malia)
9.Blue Water White Death – Song For The Greater Jihad
10.Deerhunter – Revival
11.Deerhunter – Desire Lines
12.Eluvium – The Motion Makes Me Last (Four Tet Remix)
13.Parenthetical Girls – Present Perfect (An Epithalamium)
14.Belle & Sebastian – I Can See Your Future

Ah, pois, é verdade… Coiso.