Caddywhompus – GUILT(video)

Caddywhompus – Something that is all out of wack, crooked, off centered, or not lined up correctly (Urban Dictionary)

Remainder, dos Caddywhompus, já está cá fora, e é uma questão de paixão. Um dos álbuns mais emocionantes deste ano duma banda que vai decerto explodir um pouco por todo o lado nos próximos meses, se houver justiça e sorte. Fica o vídeo para GUILT, que é mais exemplo da pujança  do duo que do alcance sonoro deste Remainder.

The Irrepressibles – In This Shirt (video)

Em ocasião do lançamento do álbum Mirror Mirror, este é o vídeo para In This Shirt. Segundo o youtube a coisa já tem um ano, mas o meu dia começou com a descoberta fascinada deste projecto a dez, cortesia Sound + Vision.

O vídeo é apresentação para o filme de Shelly Love The Forgotten Circus. Sigam o link para o site da autora e deliciem-se com o brilhante vídeo para Nuclear Skies, novo single para The Irrepressibles.

Anita Vai ao Mel 2 (checkpoint 2010)

Sempre parti do principio de que, no que toca a computadores, quando algo se carboniza dentro da caixa é sinal de morte da máquina. Afinal parece que não, basta mudar a peça afectada e o computador  continua a sua vida de anhanço como se nada se tivesse passado. Um dia destas vai haver um software para resolver estas coisas, nem sei porque me preocupo.

Simples ou não, o probleminha causou hiatus aqui no blog. Fazer updates não é giro quando a plataforma é um netbook tão pequeno que ilegível e, seja como for, estive também bem longe de musica nova.

Nesse espírito, e como também estamos quase quase a alcançar a metade do ano, achou-se por bem fazer um checkpoint.  Reúnem-se então as propostas (em jeito de álbum) mais interessantes deste 2010, todas elas já figuradas por aqui mais que uma vez. É um arrumar da casa para permitir avanços, que espero que apreciem.

Downloadem Anita Vai ao Mel 2 .
1.The Black Keys – “Howlin’ For You” (Prins Thomas Diskomiks)

2.Charlotte Gainsbourg – IRM (IRM) – 7.30

3.Ariel Pink’s Haunted Graffiti -Butt-House Blondies (Before Today)

4.Yeasayer – Ambling Alp (Odd Blood)

5.Gil Scott-Heron – I’m New Here (I’m New Here)

6.Owen Pallett – Oh Heartland, Up Yours! (Heartland)

7.MGMT – Flash Delirium (Congratulations)  – 25.20

8.S.Maharba – Girls On The Roof (S.maharba)

9.Gonjasufi – Candylane (A Sufi And A Killer)

10.Crystal Castles – Not In Love (Crystal Castles)

11.Take – Neon Beams (Only Mountain) -37.16

12.Xiu Xiu – Falkland Rd. (Dear God, I Hate Myself)

13.Clogs – I Used to Do (The Creatures In The Garden Of Lady Walton)

14.Caribou – Jamelia (Swim)

15.Japan – Oil On Canvas -51.51

The Black Keys – Tighten Up (video)

A minha resistência aos Black Keys não tem grande explicação. Talvez seja o nome, talvez seja o mundinho do “rock” que me enerva profundamente. A verdade é que esta foi a primeira vez que ouvi o mais pequeno acorde vindo da banda. E parece-me o início de uma bela amizade.

O vídeo para Tighten Up é genial, também.

Anita Vai ao Mel 1

A primeira emissão do Anita Vai ao Mel digna de receber o número 1 é, afinal, um programa da manhã. Lembram-se do programa do Pedro Costa na extinta Voxx, correctamente intitulado “Preferia estar na Cama“, cujo único objectivo era tentar convencer o ouvinte a voltar para os lençóis? É um pouco por aí, mas sem o absoluto genial (grandes tempos, que saudades…)

As novidades desta semana são o novo para Janelle Monáe, em óbvio destaque; o primeiro longa-duração dos Tame Impala; o regresso bem disposto dos Underworld.
Janelle apresenta as suites III e IV do seu opus sobre o filme Metrópolis, original de Fritz Lang. O resultado, The ArchAndroid, é excessivamente longo e demasiado açucarado a momentos, mas está cravejado de grandes momentos pop/hiphop/soul e funk, orquestrados por uma voz perfeita. Apresenta-se Make The Bus, com os grandes Of Montreal, seguida de Faster, um doce para a segunda leva da Primavera.

Recordações vão para o saudoso Elliot Smith e para o grande Gil Scott-Heron, em jeito de encore da sua passagem por Portugal nos passados dias. Um espectáculo muito divertido, mais próximo do fulgor do jazz dos 50 do que do intervencionismo político dos 70, do qual o próprio Gil foi o mestre absoluto. Menos 5 minutos nos solos de percussão e a coisa não teria murchado lá mais para o final – o velho Guru é generoso em palco e permite o mundo aos colegas, infelizmente em detrimento do nosso conforto. Ainda assim, a qualidade das suas interpretações continua no topo após todos estes anos, e aguarda-se um regresso assim que possível.

Fora os destaques, temos novos para Edward Sharpe & The Magnetic Zeros e Damien Jurado; os explosivos Sleigh Bells com o álbum Treats a espalhar brasas um pouco por todo o lado; o novo projecto de Trent Reznor em conjunto com a esposa Mariqueen e Atticus Ross, aqui no segundo single Space in Between, acompanhado agora por um vídeo quente.

É uma selecção que se presta a serviço público, ainda que sem dedução nos impostos. Para aqueles que ainda não acordaram às 4 da tarde, têm agora pouco menos de uma hora para começarem a ser produtivos.

Downloadem Anita Vai ao Mel 1, ou streamem em baixo.

1.Edward Sharpe & The Magnetic Zeros – Home

2.Janelle Monáe – Make The Bus (feat Of Montreal)

-9:32-

3.Janelle Monáe – Faster

4.Sleigh Bells – Tell’Em

5.Tame Impala – Solitude Is Bliss

6.Memoryhouse – Lately (Troisieme)

7.Elliot Smith – Son of Sam

8.Gil Scott-Heron & Brian Jackson – The Bottle

-31:12-

9.Kings Go Forth – I Don’t Love You No More

10.Chateau Marmont – Nibiru

11.How To Destroy Angels – The Space in Between

12.Camo & Krooked – Only Me

13.Underworld – Scribble

-53:10-

14.Damien Jurado – Cloudy Shoes

Underworld – Scribble (video)

Os Underworld começam as apresentações ao sexto álbum com um tema perfeito para encerrar sets. O mundo ao contrário também oferece um lado bem upbeat de Karl Hyde e Rick Smith, talvez apenas fruto da influência de High Contrast, que participa na composição.

Scribble é breakbeat bem disposto, com letras compreensíveis e sons maiores que a vida. A idade faz destas coisas, ou este é um momento de intervalo na carreira normalmente soturna da dupla inglesa? Come what may, fica o vício. O download do tema podem fazê-lo no site da banda, contra subscrição.